O Natal chega...

Merry Christmas

Merry Christmas

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Um feliz natal


É o que vos desejamos do fundo do coração. Um beijo muito reconchudo da mamã Sofia e do seu Hugo.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Coom o natal á porta...

Olá minhas querias amigas, espero que esteja tudo bem connvosco e com os vossos bebés. Connosco está tudo bem, o Hugo está enorme, aqui fica as actualizações:

Declaração universal dos meus desagrados aos 3 meses:

*Quando estou acordado, não gosto de estar muito tempo sozinho. Começo logo a chamar a atenção, quer através das minhas primeiras “palavras” quer deitando deliberadamente fora a chucha;

*Andar de colo em colo não é algo que me deixe muito entusiasmado. Eu sei que sou bonito, fofinho e irresistível (e a mamã comprova-o!) mas acho que por vezes há uma tendência para pensar que um bebé é todo ele bochechinhas e sorrisos. Pois...é que de tanto colo em colo acabo sempre por fazer uma autêntica birra. E quem me pegou ao colo, o que é que diz: “Mãe o menino está achorar, deve querer o teu colo !”. Então, se me deram colo não sabem gerir a minha birra?! E quem disse que uma birra não tem o seu charme? É tudo uma questão de pontos de vista...


Declaração universal das minhas preferências aos 3 meses:


*Já consigo adormecer sozinho na minha cama, se bem que continuo a precisar do colo para fazer a transição entre o “completamente acordado” e o “quase a dormir”. E não vale deitarem-me quando eu estou acordado, muito dificilmente adormeço nestas condições!;

*Reconheço ao longe a voz da mãe e começo logo a sorrir, é mais forte do que eu!;

*Gosto quando conversam comigo, tento sempre responder com as minhas primeiras “palavras”. O diálogo é, realmente, algo de precioso e fascinante

*Rio-me com toda a satisfação do mundo e prolongo esse mesmo sorriso que, aos olhos da mamã e dos avós, deve ser maravilhoso!;

*Adoro mudar a fralda e estar de rabito ao léu!;

Pois bem aqui esta o relatorio sobre o meu pequeno.
Fui premiada pela mamã Sofia e a sua Joana (http://acegonhacorderosa.blogspot.com/) e agradeço-lhes do fundo do coração. Um grande beijo para elas, a mamã Su ( http://umaervilhachamadamadalena.blogspot.com/) deixou-me um desafio, mas como o tempo não é muito quando puder vou deixa-lo aqui.




Pois bem, vou ter que ir indo. Se ão puder vir aqui tão cedo, deixo já o meu feliz e santo natal e um bom ano novo. Beijocas a todas vós da mamã Sofia e do Hugo

O seu bebé tem 3 meses, Primeira semana!

Já aprendeu a embalar – agora prepare-se para rolar.
Entre os 3 e os seis meses, o bebé vai aprender a rolar. Os bebés activos que adoram endireitar e arquear as costas são mais propensos a rolar mais cedo que os bebés menos activos, que preferem ficar deitados e apreciar o que os rodeia.
Ambos os tipos de bebé irão provavelmente preparar-se para este grande momento do rolar, oscilando lateralmente quando estão de barriga para baixo.

É por isso que é aconselhável certificar-se de que o seu bebé passa muito tempo no chão — é uma excelente oportunidade para ficar deitado (no chão ou numa manta) e movimentar-se e brincar consigo. O bebé não poderá treinar os movimentos de rotação se estiver na cadeira do carro, numa espreguiçadeira ou na cadeirinha o dia todo.

O seu bebé começará por fazer pequenas flexões de braços e com um impulso conseguirá virar-se de costas. Eventualmente, acabará por conseguir voltar à posição de barriga para baixo.
O seu bebé também já consegue provavelmente sentar-se direito, quando apoiado por almofadas. Se o conseguir fazer por breves períodos de tempo sem que caia para a frente ou para o lado, então deixe-o divertir-se com o novo ângulo de visão que advém da posição sentada, mantendo-o sentado num carrinho de passeio ou ao seu lado no sofá. (Tenha atenção e não deixe um bebé, mesmo apoiado, sem ninguém a vigiar. Mesmo que aparentemente esteja estável, pode cair.)

É mesmo verdade

Os bebés tendem a chorar mais durante os primeiros três meses, pelo que a parte pior está a acabar. Em breve notará um decréscimo significativo no choro.

Actividade da Semana

Dê mais vida ao “Atirei o pau ao gato” com palmas ou saltos.

Síndrome é uma das causas da mortalidade infantil

A síndrome de criança abanada é uma das grandes causas da mortalidade infantil por maus-tratos. Mas aparecem no hospital situações que os pais dizem ser involuntárias, quando estão desesperados com a criança engasgada ou com falta de ar. Os danos no cérebro provocados pelos abanões podem ser irreversíveis.
Chegam ao hospital com convulsões, marcas negras, ou em letargia. Foram abanadas pelos pais, aflitos com uma situação inesperada que não conseguem controlar ou foram abanados por ciúme, ou raiva, vítimas de maus-tratos.
Em Portugal, a síndrome de criança abanada é uma das duas principais causas de morte associada a maus-tratos físicos em crianças até aos três anos. Num terço dos casos a criança morre, em dois terços fica com sequelas neurológicas graves irreversíveis como paralisia cerebral ou dificuldades motoras, auditivas ou visuais.
São os exames cerebrais que mostram a existência de síndrome de criança abanada. O desafio dos médicos consiste em perceber se o comportamento dos pais foi ou não intencional. As crianças podem ser tiradas aos pais durante o período de avaliação judicial. Normalmente os casos repetem-se em crianças que choram muito, mas os abanões involuntários também podem ser perigosos.
Com os filhos engasgados ou com falta de ar os pais perdem o controlo. Os médicos pedem um grande esforço para evitar comportamentos desadequados. Pedem aos pais a calma muitas vezes impossível.

Fonte: TVI

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Desculpem

Olá minhas amgas, espero que esteja tudo bem convosco. Connosco está tuso, o Hugo já da melhores noites. Eu é que tenho andado mt ocupada, tenho indo e vindo todos os dias para o Porto. Ando lá a fazer uma formação que me pediram e então, tenho k me levantar cedo. Peço desculpa por não ter vindo actualizar o catinho, mas quando poder e tiver mais calma venho aqui contar todas as novidades. Beijocas a todas e um inicio de Dezembro muito bom.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Paragem de digestão

Olá minhas queridas, espero que esteja tudo bem connvosco. Connosco nem por isso. Não é o Hugo que está mal, mas sim eu.
Passei uma noite terrivel. Então ontem, fomos jantar a casa dos maus pais, e a minha mãe fez como surpresa um arroz de tar com água na boca, já lhe andava a pedir esse arroz á algum tempo. Arroz com molho vermelho, quando vi aquilo até dei um pulo na cadeira.
Comi aquele arroz 3 vezes, para vocês verem o quanto bom aquilo estava.
Mas depois de comer, não fiquei lá muito bem, fiquei com uma dor de barriga, que pensei que se me deitasse passava.
Assim foi, fomos para casa, dei de mamar ao pequenote, pus-o a arrotar e fomos dormir. Mas aquela dor não passava em por nada. Eram por volta da 1:30 da manhã, tive que ir a correr para a casa de banho, pois o jantar tinha vido todo para cima.
Passei a noite num correrio, entre casas de banho, dar de mamar ao Hugo, foi uma noite muito má mesmo. Perfeiro o meu filho chore e eu o tente acalmar do que isto. Falei com a minha sogra e ela disse-me que foi uma paragem digestiva. Foi uma sorte não ter sido pior, disse ela. Tou aqui com dores que nem posso, não tenho nada no estomago, mas a vontade de vomitar é terrivel. Daqui a nada vou para o porto, mas á tarde quero ver se vou descansar um pouco.
Pois bem, desculpem o testamento. Uma beijoca para todas vós.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Há poucas semanas, a mamã da Joana ( http://acegonhacorderosa.blogspot.com/ ) criou e desafiou as restantes mamãs para responderam a um desafio que consiste em enumerar as palavras que nos são mais queridas ou simbólicas, palavras essas começando por cada letra do abecedário.Vamos então revisitar algumas das palavras de que mais gosto:

A -Amor, Antiguidade, Água,
Amor: um dos mais importantes pilares da nossa existência
Antiguidade: gosto da sonoridade desta palavra, é como se fosse uma cápsula que me permitisse viajar para épocas que constam nos livros de História
Água: a minha bebida preferida


B – Bebé, Borboleta, Balão, Baleia
Bebé: palavra linda!
Borboleta: colorida e com um esvoaçar alegre
Balão: gosto de balões, mas menos de os encher!
Baleia: um animal imponente

C – Chocolate, Casa, Cão, Carinho, Céu
Chocolate: Se pudesse, todos os dias, de preferência de leite.
Casa: O nosso lar, o aconchego, onde sabe sempre bem voltar
Cão: um dos meus animais preferidos
Céu: algo que adoro ver quando está um bonito dia, solarengo
D – Dado, Dedo
Dado: objecto que tem muitos lados
Dedo: a magia de um toque...!

E – Estar, “Era uma vez...”
Estar: gémeo do verbo Ser
“Era uma vez...”: porque adoro contos

F – Fitas, Filipa
Fitas: algo que adoro
Filipa: o nome da minha prima

G – Giro, Girafa
Giro: acho que é um adjectivo querido
Girafa: animal curioso e pacato

H – Hino, Hugo, História
Hino: é um resumo musical da história de um pais
Hugo: o nome do meu filhote lindo
História: de contos e pequenas histórias, pois a disciplina História, sinceramente, não me seduz.

I –Impar, Infinito
Impar: sem igual!
Infinito: traduz uma sensação única.

J – Joana, Janela
Joana: Um nome lindo!
Janela: um olhar sobre o mundo

K – Kiwi
Kiwi: um fruto muito amargo

L – Laranja, Lua
Laranja: um fruto lindo, mas amargo e doce ao mesmo tempo
Lua: bonita, misteriosa

M – Mãe,
Mãe: a palavra mais bonita do nosso dicionário

N – Nuvem
Nuvem: sempre gostei da sonoridade desta palavra...penso em aconchego sempre que digo “Nuvem”

O – Óscar
Óscar: um nome que adoro.

P – Prato, Parteleira
Prato: algo que não ecessito ultimamente, pois como a correr e sem tempo para ter algo num prato!
Prateleira: Algo muito útil, para se poisar coisas

R – Riso, , Rosa
Riso: contagiante e algo que faz maravilhas a nós proprios!
Rosa: a minha flor preferida

S – Sorriso, Sofia, Saudade, Sala, Sol
Sorriso: sou uma pessoa de sorriso fácil
Sofia: Eu!
Saudade: palavra esmagadoramente bonita, nostálgica, portuguesa
Sala: Local onde estou com o meu menino
Sol: algo que nos aquece

T- Tudo, Ternura
Tudo: uma mão-cheia de coisas
Ternura: um abraço quentinho

U – Uva, Urso
Uva: não é dos frutos que me agradem mais mas em casa tenho dois fãs!
Urso: adoro este animal, sobretudo o urso polar. Já do urso castanho tenho algum medo, confesso...

V – Ver, viajar
Ver: não me imagino sem conseguir ver...seria muito angustiante para mim...
Viajar: algo que adoro fazer, pegar no carro e andar sem destino previsto
W – Huuummm, não sei...só me lembro do Wally !

X- Xaile
Xaile: algo que adorava ter e que a minha avó usava nas noites mais frias do Inverno

Y – Yaris
Yaris: um carro que não desgosto

Z - Zebra
Zebra: um animal curioso...porque é que a zebra é listada?

domingo, 16 de novembro de 2008

Desespero nocturno

Foi o que eu senti esta noite... cheguei a chorar de tão desesperada que estava, de tão cansada...
O pequeno acordou à 1h30 para mamar, até aqui tudo bem... pior foi ter ficado acordado até às 4h30... ou porque queria mama outra e outra vez, ou porque tinha cocó, uma, duas, três vezes, ou porque tinha cólicas e lhe dava umas gotas de aero-om, ou porque estava ranhoso e levava com o soro no nariz acompanhado de aspiração com narinel, ou porque fez um xixi tão grande que ficou todo encharcado e lhe tive que mudar a roupa toda, ou porque simplesmente não estava bem na cama dele. Eu já não sabia o que lhe fazer, é a verdadeira sensação de impotência. Acabei por desistir às 4h30 deixando-o ficar na minha cama. E não é que ele dormiu até às 7h30? Depois disso dei-lhe mama, mudei-lhe a fralda e mudei-o para a cama dele... está lá até agora, sem um ai. Tenho que lhe explicar que dormir é de noite!

Bebés com ganas de viver


Saiba os perigos da prematuridade

Um bebé prematuro é aquele que nasce antes das 37 semanas. Há diferentes graus de prematuridade, da idade gestacional (número de semanas de gestação) que o bebé tem. Há grandes prematuros e outros bebés que não nasceram assim tão precocemente.
É essencial estar preparada para esta eventualidade e saber como lidar com a situação. “É diferente ter nascido antes das 28 semanas ou nascer entre as 28 e as 32 e ter nascido entre as 32 e as 36.
O grau de risco, de imaturidade e da necessidade de cuidados especiais é diferente”, explica Teresa Tomé, neonatologista e Presidente da Secção de Neonatologia da Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP). Os bebés internados nas unidades de cuidados intensivos ou nas unidades de cuidados intermédios (unidades que dão apoio especializado a estes bebés) beneficiam da presença dos seus pais, durante o internamento. “É verdade que o apoio dos pais é fundamental porque promove a estimulação do bebé.

São eles os grandes prestadores de cuidados por excelência”, adianta a neonatologista. Assim, logo que o bebé permita e tenha condições clínicas para isso, os pais podem intervir nos seus cuidados. “As unidades permitem a presença dos pais por tempo ilimitado. Normalmente, as pessoas não permanecem durante a noite porque não é humanamente viável que estejam consequentemente sem descansar”, diz-nos Teresa Tomé.
De um modo geral, estas unidades não têm alojamento para os pais. No entanto, podem continuar o tempo que quiserem.
A prematuridade é sempre um risco acrescido de morte no período pós-natal. “No entanto, temos uma mortalidade neonatal nacional de 3,5 por 1000. A taxa de sobrevivência vai reduzindo quando a idade estacional é baixa. Quando mais cedo nascerem, menor a taxa de sobrevivência”, explica a neonatologista.

Causas de prematuridade

A prematuridade tem múltiplas causas e muitas delas ainda são desconhecidas. “Claro que, muitas vezes, a mesma é decidida a nível médico. Pode haver uma situação de doença que leva em a que a placenta não funcione ou uma situação de gémeos em que há compromisso da vascularização dos bebés”, indica Teresa Tomé.
Nesses casos, mesmo com risco de prematuridade, pode ser decidido clinicamente antecipar o parto. “Há outras em que a prematuridade ocorre de forma espontânea e a mulher entra em trabalho de parto, sem sabermos o motivo.
Há quem fale no stress e em múltiplas causas”. Sabe-se ainda que a infecção pode ser uma causa da prematuridade. “Ainda há muito de desconhecido sobre este problema. Sabemos que, se a gravidez for melhor vigiada e controlada, e as mulheres evitarem a vida agitada e o exercício físico violento, estão a contribuir com medidas de prevenção para não virem a ter filhos prematuros”.

Nascimento precoce, cuidados redobrados

Com o nascimento antes do tempo, os pais devem adaptar-se a esta nova realidade e ter pensamento positivo!
Têm de se convencer que são essenciais para o crescimento do bebé e podem ser decisivos no seu desenvolvimento. “Aconselha-se que os pais treinem a alimentação e aproveitem a sua presença nas unidades para acariciar os seus filhos.
Os estímulos afectivos são fundamentais para a maturação do sistema nervoso”, esclarece a Presidente da secção de neonatologia da SPP.
A interacção funciona ainda como um reforço positivo para os pais que passam por um período de crise e de stress parental após o nascimento prematuro. “A intervenção nas unidades pertence aos pais em parceria com os técnicos de saúde”.
Quando os bebés se encontram em pré-saída, ou seja, quando estão quase a sair das unidades para finalmente irem para casa, os técnicos e as equipas médicas começam a treinar os pais para este processo de transição. “É assim que os pais podem ganhar maior confiança.
As pessoas têm a ideia de que os bebés estão mais protegidos e têm uma monitorização que não lhes podem dar em casa.
Nas suas casas, não existe uma pequena unidade de cuidados intensivos, o que gera alguma ansiedade aos pais nesta fase”, indica Teresa Tomé. É então muito importante que os pais ganhem confiança na decisão da alta. Sempre que necessário, têm acompanhamento psicológico nos hospitais onde as crianças são seguidas, como acontece, por exemplo, na Maternidade Dr. Alfredo da Costa.

E depois da alta?

Normalmente, é dada alta quando os bebés estão estáveis, já têm um peso adequado e já atingiram cerca de 35 semanas. “Claro que esta situação não é taxativa pois há bebés que se mantêm internados até às 40 semanas.
Depende muito da gravidade”. Os pais levam o bebé para casa com um plano específico, prescrito pela equipa médica. “São feitos ensinamentos em relação ao posicionamento do bebé e ao transporte adequado. Estes bebés podem ter o risco de parar de respirar, daí que seja muito importante, o adequado posicionamento”.
Os pais são ainda chamados à atenção no que respeita ao cuidado com o contacto com os riscos respiratórios e de infecção. Estes bebés não devem ir para o infantário muito cedo, dentro do possível. “Em simultâneo, não se recomenda o contacto com pessoas doentes, sobretudo porque estiveram muito tempo ventilados e correm mais risco do que os outros de vir a ter problemas de infecções respiratórias graves”, fundamenta Teresa Tomé.
Os pais devem ainda ter em atenção a exposição de vírus e outros agentes infecciosos, como o fumo do tabaco. “Por outro lado, devem estimular um processo de vigilância em consulta que pode minimizar o risco de sequelas”. Estes bebés prematuros devem ser rastreados em relação à surdez e aos défices visuais. “Têm um risco de ter uma alteração da retina, chamada de retinopatia da prematuridade, que normalmente é analisada de forma vigiada.
A longo prazo, pode evoluir para um problema da refracção (miopia, estigmatismo), daí a necessidade de um rastreio precoce. Os bebés prematuros devem ter uma avaliação oftalmológica desde muito cedo e de forma regular”, acrescenta Teresa Tomé.

Números nacionais

A maternidade lisboeta por excelência acompanha todos os casos de bebés prematuros que nascem nas suas instalações. Na Maternidade Dr. Alfredo da Costa, nascem entre 150 a 170 bebés prematuros todos anos. “A nível nacional, os grandes prematuros (aqueles que nascem com menos de 32 semanas) correspondem a 1% dos nascimentos por ano.
Em números redondos, temos 1000 nascimentos anualmente, a nível nacional e que são distribuídos por todos os hospitais que têm cuidados intensivos, de Norte a Sul do País”, sintetiza Teresa Tomé. As unidades a nível nacional diferem em termos de características e a população assistida varia consoante as mesmas.

O seu bebé tem 2 meses, Primeira semana!

Agora que chegou aos 2 meses, o seu bebé é, cada vez mais, uma companhia agradável quando está bem-disposto.
Os seus reflexos de recém-nascido já não controlam os seus movimentos: o bebé está a aprender a controlar o seu corpo e mente.
Está atento a novos e diferentes sons. Olha em redor do quarto à procura de pontos de interesse. Centra-se intensamente – embora por pouco tempo – naquilo que capta a sua atenção. Mas principalmente, adora olhar para as suas próprias mãozitas, juntando-as e levando-as à boca.
Os balbucios são a sua forma de expressar prazer, para além de servirem para exercitar as cordas vocais.
Agora já pode “conversar” com o seu bebé. Quando ele balbucia, responda-lhe com breves palavras ou balbucie para ele. Depois, espere que ele “responda”. Este tipo de conversação alternada poderá não lhe parecer grande coisa mas é, na verdade, o princípio da aprendizagem da fala!

Actividade da Semana
O seu bebé irá divertir-se imenso a agarrar e abanar objectos pendurados ao seu alcance

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

I Hate This Part_ Pussicat Dolls

We're driving slow through the snow on 5th Avenue
And right now, radio's all that we can hear
Now we ain't talk since we left, it's so overdue
It's cold outside but between us it's worse in here
The world slows down
But my heart beats fast right now
I know this is the part
Where the end starts
I can't take it any longer
Thought that we were stronger
All we do is linger
Slipping through our fingers
I don't wanna try now
All that's left is good-bye
To find a way that
I can tell you
I hate this part right here
I hate this part right here
I just can't take your tears
I hate this part right here
Everyday, 7 takes of the same old scene
Seems we're bound by the loss of the same routine
Gotta talk to you now before we go to sleep
But will you sleep once
I tell you what's hurting me?
The world slows down
But my heart beats fast right now
I know this is the part
Where the end starts
I can't take it any longer
Thought that we were stronger
All we do is linger
Slipping through our fingers
I don't wanna try now
All that's left is good-bye
To find a way that
I can tell you
I hate this part right here
I hate this part right here
I just can't take your tears
I hate this part right here
I know you'll ask me to hold on
And carry on like nothing's wrong
But there is no more time for lies'
Cause I see sunset in your eyes
I can't take it any longer
Thought that we were stronger
All we do is linger
Slipping through our fingers
I don't wanna try now
All that's left is good-bye
To find a way that
I can tell you
But I gotta do is,
I gotta do it,I gotta do it
I hate this part
I gotta do it,
I gotta do it,I gotta do it
I hate this part right here
I hate this part right here
And I just can't take these tears
I hate this part right here

De momento é a música que adoro, tirando as músicas das Leopoldina e por ai fora :)

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Sem cabeça

Olá minhas queridas, peço desculpa por não vir aqui a miudo, mas não tenho andado bem, e a paciência e o tempo também são poucos. Peço mil desculpas, mas quando tiver melhor, venho cá dar noticias nossas. Mil beijos e xi coração para todas vós e para os vossos filhotes.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Miminho dado pela mamã Sofia e a sua Joana

Um muito obrigad pelo miminho dado por vocês. Beijocas fofas

Para sempre Rute

Rute Cruz, que durante largos meses fez dupla no Diário da Manhã com José Carlos Araújo, morreu hoje, vítima de leucemia. Já em Outubro do ano passado, a jornalista, de 28 anos, tinha enfrentado uma paralisia facial, o que a obrigou a ficar afastada do pequeno ecrã.
“A recuperação está a correr bem e devo regressar já em Fevereiro”, declarava Rute na altura. Contudo, o regresso acabou por não acontecer, uma vez que lhe foi diagnosticada uma leucemia, o que a obrigava a constantes idas ao hospital.
Há cerca de mês acabou por ficar internada no Hospital S. Francisco Xavier, onde ontem de madrugada perdeu a luta contra o cancro. Formou-se em Português e, depois de ter frequentado um curso no Cenjor e de ser hospedeira de terra na TAP, começou por apresentar um programa sobre a Igreja Evangélica, na RTP2.
Mais tarde foi convidada para trabalhar na estação de Queluz, no Diário da Manhã, onde permaneceu apenas um mês. Seguiu-se a experiência de repórter no Deluxe, onde esteve durante um ano, e, em 2006, voltou a apresentar o programa informativo das manhãs da TVI.Detentora de uma personalidade forte e muito optimista, Rute Cruz revelava, numa entrevista ao site Rosa 10, datada de Julho de 2007, que tinha uma visão muito positiva do futuro. “Hoje em dia vivo um dia de cada vez, mas eu prevejo o meu futuro brilhante, fantástico”, afirmava.
O corpo da jovem jornalista está em câmara ardente na Basílica da Estrela.
O funeral realiza-se em Santarém.
Para sempre contigo, Rute. Descansa em paz.

2 meses só contigo

É só comigo ou isto anda a voar???Não tarda está a correr pela casa...Pois é, 2 meses! 2 meses de pura felicidade e descoberta, claro que com os seus altos e baixos, um inicio complicado após um parto normal , mas com 17 dias fora de casa em que a recuperação foi lenta, uma adaptação aos novos horários e a dificuldade nas mamadas da madrugada que por vezes até me acontecia adormecer com ele na mama :)

Deixa-me ver à 2 meses atrás a esta hora, estava eu deitada numa cama super confortável, já com a bendita epidural a ouvir o coraçãozito do piolho a bater e por vezes a passar pelas brasas, engraçado como me lembro de todos os detalhes daquela sala. E parece estranho mas as horas passaram muito rapidamente. Pela minha cabeça só passava "está quase a chegar a hora do nosso encontro".
E ele chegou para pintar as nossas vidas num tom mais azulado.
Quando criei este blog estava longe de imaginar que vinha mesmo ai um verdadeiro anjinho, ele é super calminho, porta-se muito bem, claro que tem as suas birrinhas de vez em quando mas de resto é ve-lo sempre com um sorrisito pronto para nos receber. Agora o que ele mais gosta de fazer é quando acorda durante a madrugada e eu vou pegar nele para a mamada ele sorrir-me, não é uma delicia, qualquer restia de sono que eu possa ter é vencido por tal sorriso. Mas pelo que me parece e as pessoas dizem é um bebé bastante calminho.

Esta semana bateu um novo recorde dormiu 6h seguidas... ai que maravilha! E de terça para quarta resolveu pregar-me uma partida durante a noite, acordou às 2, 4, 6, 8, 10h... isto já parecia o primeiro mês... acordava olhava para mim eu sem ser capaz de arrancar a cabeça da almofada e ria-se, palrava... se eu lhe desse conversa ele lá continuava a rir-se e a palrar... queria conversar, podia era faze-lo durante o dia :)
O Hugo está um cadito doente, tem tosse e por vezes o nariz congestionado, liguei ao pediatra que me disse para fazer uma boa aspiração nasal e levantar o colchão do berço durante a noite para ele ficar bem elevado.